biblia

Milhões de pessoas já trocaram a Bíblia de papel pela versão eletrônica. O aplicativo YouVersion é o mais baixado do mundo na categoria Bíblias tanto em versão Android quanto no iOS.

Uma pesquisa reuniu informações dos usuários do aplicativo no mundo todo dá uma ideia de quais são os versículos mais compartilhados nas “redes sociais” (Twitter, Facebook, Youtube, etc.).

Usando–se o YouVersion,  em 2014 foram quase 10 bilhões de  capítulos lidos, pelos seus 184 milhões de usuários. O aplicativo comemorou este ano a marca de 1.000 traduções oferecidas, ou seja, 7 em cada 10 habitantes do mundo podem ler a Bíblia em sua própria língua no celular ou tablet.

Brasil, EUA e Nigéria compartilham o mesmo versículo ‘favorito’: Filipenses 4:8. O apóstolo Paulo escreveu “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas”.

Filipenses obteve um grande destaque este ano. A carta do Novo Testamento possui 3 dos 10 versículos mais marcados, destacados e compartilhados, segundo os dados dos desenvolvedores do YouVersion.

Jeremias 29:11 foi o verso mais popular no Canadá, Reino Unido e Austrália. Jeremias 33:2-3 foi o mais verso popular na Coréia do Sul. Isaías 41:10 foi o verso mais popular no México e na Colômbia.

A lista dos mais acessados em todos os países é a seguinte:

1 – Romanos 12: 2
2 – Filipenses 4: 8
3 – Filipenses 4: 6
4 – Jeremias 29:11
5 – Mateus 6:33
6 – Filipenses 4: 7
7 – Provérbios 3: 5
8 -Isaías 41:10
9 – Mateus 6:34
10 – Provérbios 3: 6

No levantamento do ano passado feito pelo YouVersion, Filipenses 4:6 foi a única passagem a continuar entre os cinco “prediletos”.

18 Dec 2014

Ano Novo a Vontade de Deus

Autor: rodrigo | Categoria: Evangelicos, Pregações

Um novo ano é sempre um motivo para realizarmos novos projectos, é como o povo diz, “ano novo, vida nova”.

Se você me perguntar o que deve desejar para o novo ano, eu tenho uma resposta para si, a saber: “Deus quer que você permaneça em Sua vontade”, e nada mais.

Os grandes feitos seguem sempre a norma, de que “a vontade de Deus é que gera sonhos no homem, para este os realizar”.

Como podemos conhecer a vontade de Deus? A resposta é através da oração. “Seja feita a Tua vontade assim na terra como no céu”. Mateus 6:10. Nem sempre a vontade de Deus é a nossa vontade. Nós idealizamos “sermos felizes à nossa maneira”, e por esta razão é que se estabelece o conflito das vontades.

Às vezes nos enredamos com as nossas imaginações, que até parecem se plasmarem nos ideais de Cristo, como por exemplo, sermos missionários, construirmos uma Casa da Igreja, fazermos cursos bíblicos, programas de rádio, de televisão e tantas outras coisas, que no íntimo procuram promover a nossa vontade, e assim nos tornamos realizados, satisfeitos e até orgulhosos.

Tenho aprendido ao longo de trinta e seis anos de ministério, que para conhecer a vontade de Deus,  tenho que me humilhar, (Tiago 4:10). Ou então, Deus o fará por mim. (Deuteronómio 8:2).

Aprendi que “fui feito do pó, e que ao pó voltarei” e que “a nova vida que há em mim, é o Cristo”. Na teologia Paulina está escrito: “Cristo em nós, a esperança da glória. Não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim”.

Eu, o Amílcar, sou uma nova criatura, e devo viver de acordo com a vontade d’Aquele que me resgatou da morte eterna, e me transportou para o Seu Reino.

Jesus ensinou os seus discípulos de que “se a semente não morrer, não pode germinar”. Com este ensino, aprendemos que Deus não está interessado nos nossos planos, porque Ele tem um plano para nós, idealizado antes da fundação do mundo.

Há uns anos atrás, Paul Yong Cho no seu livro Quarta Dimensão, agitou o mundo cristão, ao afirmar que cada um receberia o que  pudesse imaginar em seus sonhos. Como resultado deste ensino, muitos rapazes e moças, começaram a imaginar companheiros de olhos azuis, castanhos, altos ou baixos, conforme os seus gostos. Não estou certo de que tivessem alcançado os seus desejos.

O melhor que podemos desejar para o novo ano, é vivermos de acordo com os ideais de Cristo. Se este for o desejo do nosso coração,  que até nos pode levar às lágrimas, Ele fará que sonhemos com o Seu  plano.

Com esta revelação profundamente marcada no nosso coração, começará a nascer em nós, pela ação do Espírito Santo, a Obra. Deus dará todos os recursos, e fará que percorramos a carreira que nos foi proposta antes da fundação do mundo, (Hebreus 12:1).

É imperativo sabermos que a nossa ação, como discípulos de Cristo, consiste em praticarmos quotidianamente os ensinos de Jesus no Sermão da Montanha, (Mateus 5, 6 e 7), que é o amago do amor a Deus e ao próximo.

Também servirá para testar a vontade de Deus  no nosso viver cristão. Aquele pois que não cuidar em praticar esta doutrina é considerado de homem imprudente, (Mateus 7:26). Certamente que Deus não negará bem algum a todos aqueles que de todo o coração O amam. Estes são os bem-aventurados quem Deus ouve, como está escrito:

“E esta é a confiança que temos Nele, que se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos”, (I João 5:14-15).

 

O pastor Rick Warren convocou cristãos evangélicos para se juntarem aos católicos na defesa da família tradicional. A iniciativa aconteceu após sua visita ao Vaticano, onde encontrou-se com o papa Francisco durante um evento que discutiu como a Igreja Católica deve enfrentar os desafios do século XXI a respeito da família.

O renomado pastor e escritor, líder da megaigreja Saddleback Church, disse que “temos muito mais em comum do que o que nos divide”, e exemplificou: “Nós acreditamos na Trindade, na Bíblia, na Ressurreição, na Salvação através de Jesus Cristo. Essas são as grandes questões”, pontuou.

O argumento de que cristãos católicos e evangélicos possuem mais em comum do que de oposto foi usado para reforçar a urgência de união de forças em “defesa da santidade da vida e do casamento”.

Em quase todos os países ocidentais, de maioria cristã, há movimentos sociais que são considerados pelos líderes religiosos como ofensivos à tradição cristã, como o casamento de pessoas do mesmo sexo e campanhas pela legalização do aborto.

Warren, que é conhecido pelo livro “Uma Vida Com Propósitos”, tratou de minimizar as divergências entre evangélicos e católicos a respeito da figura da virgem Maria: “Às vezes, os evangélicos acreditam que os católicos adoram Maria como se ela fosse Deus, mas isso não é exatamente a doutrina católica. As pessoas perguntam ‘por que estão orando aos santos?’ E quando você entender o que eles acreditam você vai entender que há muito mais em comum que temos com os católicos romanos”, disse o pastor.

Ao final, Warren pontuou que as semelhanças não excluem os pontos de embate: “Ainda existem diferenças reais, sem dúvida. Mas o mais importante, se você ama Jesus, estamos no mesmo time”.

A revista Época divulgou sua tradicional lista das 100 pessoas mais influentes na sociedade brasileira durante o ano que se encerra, e o pastor Silas Malafaia e outras figuras do meio evangélico foram listados.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) já havia sido mencionado nos anos de 2011 e 2012, e agora retorna à seleção da revista.

Nesse ano de eleições, Malafaia voltou a figurar no cenário nacional por causa dos apoios manifestados a candidatos de oposição à presidente Dilma Rousseff (PT).

No primeiro turno, apoiou o pastor Everaldo Pereira (PSC-SP), que teve sua candidatura ofuscada por Marina Silva (PSB), que foi alçada ao posto de cabeça de chapa da coligação Unidos pelo Brasil após a fatídica morte de Eduardo Campos (PSB) e também é mencionada na lista de Época.

Marina, aliás, chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto para o segundo turno, mas se viu alvo de ataques intensos do PT. Toda a artilharia usada pelos apoiadores de Dilma surgiu após o episódio em que o pastor Malafaia questionou propostas para a comunidade LGBT no programa de governo de Marina Silva.

Embora a ex-senadora e ex-ministra negasse que as publicações de Malafaia no Twitter a tivessem influenciado na decisão de rever as propostas à comunidade LGBT, os adversários políticos decidiram usar o episódio para confrontar sua candidatura, e ela terminou fora do segundo turno, manifestando apoio a Aécio Neves (PSDB).

Outros evangélicos que surgem na lista são o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), membro da bancada evangélica e pré-candidato de seu partido para a presidência da Câmara dos Deputados; e o jogador Neymar, atacante do Barcelona e da Seleção Brasileira.

Marina

Após receber 22 milhões de votos e ficar em terceiro lugar na disputa para a presidência da República, a missionária assembleiana foi eleita pela revista FT Magazine, publicada pelo influente e tradicional jornal britânico Financial Times, como a mulher mais influente da política mundial.

O ranking denominado “Women of 2014” elencou uma lista de mulheres com vasta influência na política de seus países e até internacional.

No editorial que divulgou Marina como vencedora da lista de mulheres mais influentes da política mundial, a revista apresenta um perfil da ex-senadora e um artigo do economista Eduardo Giannetti sobre ela: “Eu acho que uma liderança nacional com as características de Marina é rara em qualquer lugar do mundo. Ela está na linha de Nelson Mandela, ou Mahatma Gandhi ou Martin Luther King, um líder que está fundamentada na ética e valores”, resumiu.

Confira as fotos:

 

5 Sep 2014

As relações de poder entre a Igreja e o Estado

Autor: rodrigo | Categoria: Estudos, Evangelicos

Em ano eleitoral cabe uma reflexão a respeito do poder secular e a sua relação com a Igreja Cristã. Há anos cresce o número de candidatos que postulam a representação dos cristãos sob o argumento de que cabe a eles o dever de frear o avanço do secularismo e impedir a criação de leis que prejudiquem a Igreja. Não são poucos os que se manifestam a favor ou contra esse movimento que tem colocado entre a pauta de prioridade de grandes denominações evangélicas o lobbie político.

As Escrituras não se omitem quanto a essa questão. Um dos textos mais provocativos nesse sentido é a descrição que Lucas faz do diálogo entre Jesus e o Diabo, no deserto: “E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. Portanto, se tu me adorares, tudo será teu.” [Lucas 4:5-7]

Observe que o Diabo afirma sem titubear que ele tem esse poder e pode dá-lo a Jesus e a quem quiser adorá-lo. Embora Jesus tenha afirmado tempos depois a Pilatos que nenhum poder ele (Pilatos) teria se de cima não lhe fosse dado (Jo 19.11), nesta oportunidade Ele não desmente a Satanás e responde: “Vai-te para trás de mim, Satanás; porque está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás”. [Lucas 4:8 ].

Como entender então o diálogo entre Jesus e Pilatos? Ou ainda as recomendações neotestamentárias: “orem pelas autoridades constituídas, pois não há autoridade que não venha de Deus!” Um texto nega o outro? Existe contradição na vontade do Senhor?

Não me parece que seja isso. Na passagem de João, Jesus declara o óbvio: o Senhor é soberano sobre todas as coisas. Mas isso não significa que seja vontade de Deus constituir autoridades seculares. O seu desejo é que venha a nós o seu Reino e que ele reine sobre a humanidade.

No deserto, o que estava em questão era a quem deveria ser dirigida a adoração, por isso Jesus esclareceu que só é possível adorar ao Senhor, só a Ele. Não havia necessidade de desmentir a Satanás quanto à sua influência secular. O Império Romano e a adoração pública a César e a Augusto, não deixam dúvida de que o Diabo dizia a “verdade”. A tirania e a perseguição aos cristãos durante os primeiros séculos da era cristã falam por si só.

Uma outra questão a ser levantada é se esse poder secular foi transferido depois a alguém, ou, dito de outra maneira: Satanás abriu mão do seu poder secular? O transferiu a alguém? Hoje ele continua a governar como príncipe deste século? O Estado personifica esse principado?

A essas perguntas devemos responder honestamente que ele continua o mesmo. Mesmo se olharmos para os quase mil anos em que a Igreja dividiu o poder civil com a monarquia, temos que concluir que pouca ou nenhuma influência benéfica a liderança do clero causou sobre a sociedade. Pelo contrário, à exceção das primeiras mudanças sociais ocorridas nesse período, como o fim das crucificações, a proibição das lutas entre gladiadores e a repressão ao infanticídio – para citar algumas, o legado administrativo deixado pelos papas é altamente reprovável.

Diferentemente ocorre quando olhamos para a contribuição que o cristianismo ofereceu ao mundo ocidental na educação, nas artes, nas ciências e até no trabalho, mas tudo isso de modo indireto, sem necessidade de tomar o poder para influenciar a sociedade.

É por isso que, sobre o poder civil e secular, Paulo reafirma que Satanás o detém, e que não é manifesto totalmente e fica detido (o Anticristo, que será um líder político) enquanto o Espírito Santo estiver aqui na terra (2 Ts 2.6-7). Enquanto isso, os governos civis continuam perseguindo os cristãos e será pior até o fim dos tempos.

A propósito do debate entre a secularização da sociedade e o laicismo, o cristianismo tem sido constantemente oprimido de modo que não há dúvida sobre quem detém o poder secular ainda hoje e mais, quem ele representa. Ele se manifesta através dessa ideologia laica e está presente também nas autarquias e outras instâncias. E essa perseguição costuma ser dirigida somente à religião cristã, principalmente no que toca ao caráter imutável de suas crenças e doutrinas sob o argumento de que o cristianismo seria uma religião que não evolui e a Bíblia um livro antiquado, que pouco ou nada aportaria à cultura moderna. Grosso modo, a declaração dos direitos humanos substituiu os valores morais cristãos.

Mas, por outro lado e na prática, existe uma bancada evangélica que cresce a cada eleição e a pergunta que é feita é a seguinte: a Igreja precisa de líderes cristãos nas casas legislativas? Isso é, segundo a Bíblia, missão da Igreja? Ou a Igreja esqueceu Zacarias 4.6, que diz: “não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos”.

Não nego que a atuação de alguns parlamentares cristãos, como cidadãos, podem até ser válidas, mas as palavras de Jesus continuam atuais: “daí a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus”. Nelas reside o princípio de separação entre a Igreja e o Estado e que deve servir de orientação para nosso tempo. A declaração “meu Reino não é deste mundo” não nos ilude quanto à verdadeira posição da Igreja neste século.

Contrariar essa verdade significa não discernir os tempos e as estações e ignorar os eventos previstos no livro de Apocalipse que não deixa dúvida quanto à origem e o significado das duas bestas que combaterão contra a Igreja. De modo que, conforme a parábola do trigo e do joio, na qual Jesus explica que um inimigo semeou a má semente junto à boa e que juntos crescerão – trigo e joio – até o dia da ceifa, o trigo deve ter presente o significado de “meu Reino não é deste mundo” porque ao líder do joio (Ap 13) já está reservado o fogo e o enxofre na presença dos santos anjos e diante do Cordeiro (Ap 14.10).

 

Fonte: http://estudos.gospelprime.com.br/relacoes-igreja-estado/

4 Sep 2014

Voluntariado: Um serviço para o Reino de Cristo

Autor: rodrigo | Categoria: Estudos, Evangelicos

“Bem aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia”(Mt. 5:7).

UM CORAÇÃO VOLUNTÁRIO

Voluntariado é algo que sempre fez a diferença na vida das pessoas.  Na sociedade brasileira demonstra caráter de disponibilidade, disciplina, trabalho em equipe, iniciativa e criatividade. Isso ajuda no crescimento profissional, principalmente dos jovens brasileiros. É assunto recorrente, algo bem atual e tema da moda no Brasil. As empresas e corporações sempre estão de olho em pessoas que tenham essas habilidades. Uma pessoa voluntária sempre está disposta a ajudar, contribuir, colaborar de coração aberto e contente. Geralmente essas pessoas estão inseridas em algum projeto social em seu bairro, em sua escola, em sua cidade. Fazem parte de alguma associação, clube ou instituição que logo se identificam.

“Os verdadeiros voluntários não estão preocupados com status, títulos, salários ou promoções porque em seu campo de atuação não existe essa possibilidade. Servir ao próximo é pedir para baixar o salário, baixar a posição religiosa, política ou social. Servir a Cristo é diminuir para Ele crescer. É descer do cavalo mesmo!! (Atos 9)”.

Nem sempre encontramos pessoas com essa característica e, que estejam obrigatoriamente, associadas a alguma sociedade civil sem fins lucrativos, formalizando as suas ações. Muitas vezes encontramos atitudes de disposição e disponibilidade em todos os lugares e de maneira informal. Vimos esse comportamento em escolas, faculdades, no trabalho e até em casa. São pessoas que têm o coração espontâneo. Nasceram com o dom de servir. É aqui que desejo chegar: na visão bíblica do serviço. Em ser voluntário cristão, ser servo do reino de Cristo.

SERVINDO À FAMÍLIA DE CRISTO

Em nossas igrejas podemos encontrar muitas pessoas assim. Pessoas que servem a Deus de forma especial. Que estão sempre prontas a se disporem em favor de sua família, em favor de seus amigos, em favor de seu próximo, em favor de sua congregação. Nenhum voluntário espera por aplausos. Seus corações não estão preparados para isso.  Facilmente se entregam ao labor ensinado por Cristo. Sem resistência, sem força, sem precisar de pressão. Os voluntários muitas vezes são desprezados pela congregação e mal interpretados pelas críticas diretas ou indiretas que ouvem de outros irmãos, pois apesar de fazerem as coisas de forma plena e espontânea tem sempre alguém reclamando de alguma coisa. Contudo, eles não estão preocupados com isso, pois o alvo deles é alegrar o coração do Pai. Os voluntários são amorosos, cuidadosos, gentis e prestativos. Já viram gente assim? Eu conheço muitos homens e mulheres assim.

Testemunho de serviço

Cresci vendo isso em minha casa. Não éramos cristãos ainda, porém, minha mãe era a mulher que mais eu admirava na infância. Nunca vi uma pessoa mais gentil e voluntária em casa e na vizinhança do que minha mãezinha… Foi muito fácil para eu poder entender o que é servir com um coração voluntário e disponível. Cresci assim. Aos doze anos entreguei minha vida a Cristo. Anos mais tarde toda a família seria salva por Cristo. Já na igreja crescia avançava no trabalho voluntário de evangelismo. Era daqueles adolescentes que não tinha nenhuma vergonha de receber instruções de como servir melhor a Jesus e às pessoas, de carregar bancos de madeira, caixa de som e outras coisas na cabeça para levar para as esquinas de evangelismo de nossa igreja. Muita gente fala que não nasceu para ser calda e, sim, cabeça, etc…

Contudo acham que com esse “jargão” serão úteis a sua maneira. Não querem servir primeiro para depois ensinar o serviço, como fez o nosso mestre Jesus. Desejam de imediato uma liderança, sem ao menos ter passado pelo teste do tempo, da humildade e do serviço do reino. Eu tinha doze anos de idade quando comecei a aprender sobre o serviço cristão. É claro que não foi tão fácil assim. Lutas e perseguições, preconceitos e críticas maldosas sempre passei. Trinta e dois anos se passaram no evangelho, nada mudou  quanto ao sofrer pela causa de Cristo. Mas, isso é bom. Contudo, observo muitos cristãos que são como se fossem agentes secretos do reino de Cristo porque tem vergonha de pregar o evangelho. Não fazem diferença alguma em casa, na vizinhança, no trabalho, nem na igreja. As ruas, avenidas, hospitais, abrigos, escolas, shoppings e outros lugares públicos lhes parecem ser um grande terror! Não são luzes, nem sal; Não são diferentes do mundo. Com as suas atitudes negam o próprio Jesus.

Jesus, porém, disse: “Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. (Mt. 10:33)

 

O Salário do Voluntário não é da terra

A diferença de um coração voluntario para um coração egoísta é simplesmente o AMOR. O amor que motiva o servo de Cristo a não depender de aplausos, nem de salários, amor que não gera ansiedade para ser “cabeça” de alguma coisa.

Autoridade é serviço (Jesus Cristo).

O verdadeiro servo de Cristo não se importa de ser o último da fila. Não se importa em ser pequeno no meio dos grandes. O voluntário do reino de Cristo conhece o caminho do amor, da misericórdia, do perdão e do amor. O salário de um voluntário não está na terra, está no céu. Ele sabe disso. Por isso o seu coração é de servidor sem merecer trocos. Já está tudo contabilizado no céu. E, um dia, o seu Senhor o chamará para prestar contas e entregar-lhe os tesouros de um Reino de Justiça.  Isto será absolutamente incomparável e profundamente maravilhoso!

” Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.  E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor”. (Mateus 25:20 e 21).   Teologia sem prática não passa de um discurso vazio e inoperante.

É óbvio que precisamos servir dentro da legalidade, de acordo com os princípios da Lei, precisamos estar organizados no serviço, adquirir e aprimorar conhecimento, etc. Tudo isso é importante, contudo, nos dias de hoje, a correria por títulos tem sido mais frenética do que o próprio amor pelas almas, o fundamento do ensino de Cristo. Títulos e diplomas não salvam ninguém, títulos não pregam a ninguém, títulos não libertam, mas o sacrifício de Jesus na cruz do calvário a tudo sobrepuja. É impossível amar a Jesus e não desejar ardentemente compartilhar desse amor com o próximo! Não podemos servir a Deus e ao próximo em toda a sua plenitude se dentro de nós não existir o AMOR. Quando amamos de verdade e não só de palavras, nada mais é tão especial e tão importante que isso! Servir por amor. Modestamente, eu mesmo estou escrevendo voluntariamente estas linhas para a edificação do corpo de Cristo.

“E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural. Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” (Tiago 1:23-25). 

 

SERVIÇO DO REINO É UM SERVIÇO DE FÉ, ZELO E AMOR

Nenhum homem de Deus que vimos na Bíblia serviu nessa terra por ter medo de Deus, vendo-o se irar contra ele e a sua família. Ninguém. Nenhum profeta, nenhum rei, nenhum discípulo ou apóstolo que serviu DE VERDADE serviu por medo de receber o castigo de um Deus carrasco caso não o obedecessem, mas, o serviram, sim por FÉ, TEMOR no CORAÇÃO e AMOR. Esse AMOR não é amor de um ‘senhor de engenho’ para um escravo, mas, sim de um PAI para filho. Quando um filho serve a seu pai, não espera receber nenhum valor de volta que não seja o AMOR DO PAI. Só isso! NADA MAIS! Um filho não é escravo. É amigo. Um filho que só serve a si mesmo está fadado ao fracasso. (ver história do Filho Pródigo). Sirva ao seu Pai. Sirva a DEUS, sirva ao próximo! Compartilhe das coisas do reino de seu Pai com os outros. Seu Pai (DEUS) tem um reino e esse reino não é apenas seu. Obedeça.

Voluntariado fora do templo

As nossas igrejas estão cheias de crentes obesos na fé. Há cristãos derramando banha de bíblia, mas não compartilha dessa caloria. Tem gente fazendo sopão de letras da Bíblia somente para si! A Casa de Deus não é uma praça de alimentação cheia de gorduras e calorias onde alimentamos a “carne” em vez de alimentar o seu espírito e confortar a nossa alma. Mudemos a nossa alma (Rm. 12:1). Vamos lá fora, oferecer um pouco de pão e vinho, servir um banquete ao próximo em qualquer lugar que estivermos passando.  Deixemos de pecar negando o bem porque a omissão é pecado. Mas, tenhamos calma. Devemos fazer tudo com decência e com ordem (I Coríntios 14:40). Não tenha vergonha de ser diferente. Não tenha vergonha de servir. Não tenha vergonha do evangelho.

“Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado” (Tiago 4:17)

CONCLUSÃO

Como vimos lá no início deste artigo, voluntariado (serviço sem ganância, mas cheio de compaixão) é algo que sempre fez a diferença na vida das pessoas, através de JESUS, através da vida dos profetas e nos atos dos apóstolos. Desejo que o SENHOR crie em seu coração a vontade ardente de continuar estas ATITUDES DE AMOR, DE FÉ, E DE COMPAIXÃO em nome de Jesus.

Quem deseja ser um novo voluntário do Reino de Cristo levanta a mão!!!! EEEUU, EUU, EU TAMBÉM!!!!

Até a próxima servos bons e fiéis.

Claudinho Santos

 

“Porque não me envergonho do

evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê;

primeiro do judeu, e também do grego”. (Rm. 1;16).

COMPARTILHE, ABENÇOE UMA VIDA! DIVULGUE A VONTADE!

O Departamento Crianças do Reino irá realizar Acampamento Infantil para crianças de 5 a 11 anos, no período de 11 a 12 de outubro. Serão dois dias inesquecíveis com muita aventura, diversão e aprendizado da Palavra no Resort Getsêmani. As inscrições já começaram domingo. Pais garantam logo a vaga do seu filho, pois as inscrições são limitadas. Mais informações: 3878.0100. #criancasdoreino #acampinfantil
acampamento infantil getsemani

A Lounge Getsemani está pronta para receber a Igreja! 
Novidade de Vida: bolos doces, guloseimas,tortas,
água de coco,enfim tudo que você tem direito!
Venha e escolha a seu gosto.

Lounge Jardim