A pré-venda dos ingressos para o filme “Os Dez Mandamentos”, feito com cenas da primeira “novela bíblica” da Record, alcançou a marca de mais de 150 mil ingressos vendidos nos primeiros dias.

A versão longa-metragem tem estreia agendada para 28 de janeiro, e a Igreja Universal do Reino de Deus – que vem divulgando o filme entre os fiéis – reafirmou os planos de tornar “Os Dez Mandamentos” a maior bilheteria do cinema nacional, superando “Tropa de Elite 2”, que alcançou 11 milhões de espectadores em 2010.

“Os números impressionantes da pré-venda de ‘Os Dez Mandamentos – O filme’ provaram que conquistar o título de mais vendido não é uma perspectiva pretensiosa da Rede Record de Televisão com a Paris Filme”, diz trecho de um comunicado da Universal.

Ainda segundo a denominação do bispo Edir Macedo, a pré-venda do filme “tende a ser superior, já que as pequenas e médias distribuidoras levam mais tempo para contabilizar as vendas”.

Na visão dos produtores e distribuidores de “Os Dez Mandamentos”, o filme “já desbanca grandes produções internacionais, como o filme ‘Star Wars: O Despertar da Força’, da Walt Disney Pictures, que, no esquema de pré-venda, vendeu 300 mil ingressos, mas em 2 meses, o que dá, em média, 1 mês para se chegar à marca que ‘Os Dez Mandamentos’ bateu em apenas 4 dias”.A revista norte-americana The Economist noticiou que até o momento, o campeão bíblico de bilheteria é o longa homônimo “Os Dez Mandamentos”, lançado em 1956, do diretor Cecil B. DeMille, que arrecadou mais de US$ 1 bilhão nos Estados Unidos, em valores atuais.

Ainda sobre o segmento religioso, outros filmes famosos ocupam a lista dos mais vendidos, entre eles “Ben-Hur”, de 1959, dirigido por William Willer, com 40 prêmios e nomeações; e “Sansão e Dalila”, de 1949, de Cecil B. DeMille.

O atacante brasileiro Wendell Lira recebeu ontem, 11 de janeiro de 2016, o Prêmio Puskas, por ter marcado o gol mais bonito de 2015. A eleição, promovida pela FIFA, contou com a votação de internautas de todo o mundo. E no discurso, o jogador atribuiu o momento a Deus.

Essa é a primeira vez que o prêmio não é entregue a um jogador que atue em campeonatos de ponta. Quando Wendell marcou o gol, atuava pelo Goianésia, em uma partida do Campeonato Goiano, e quando foi indicado como autor de um dos gols mais bonitos, estava desempregado.

“Queria primeiramente agradecer a Deus por esse momento único na minha vida, de estar aqui, conhecendo grandes jogadores que são meus ídolos, e que eu conhecia só de videogame, e hoje estou podendo conhecer pessoalmente. Queria agradecer muito à minha família, à nação brasileira que votou em mim, à minha esposa e minha filha”, disse o jogador em seu discurso.

Na votação aberta – que reuniu mais de 1,6 milhão de votantes – Wendell teve 46,7% dos votos, superando jogadores famosos como Lionel Messi (eleito o Melhor do Mundo pela quinta vez), Carlitos Tevez e outros, de acordo com informações do portal Uol.

“Queria deixar uma passagem bíblica. Creio eu que quando Davi e Golias… quando Golias apareceu, todo mundo olhava para ele e falava: ‘ele é muito forte, grande, não tem como ganhar dele’. E Davi, quando olhou para Golias, disse: ‘Ele é muito grande, não tem como não errar’. É assim que temos de enfrentar os problemas diários da nossa vida e é assim que eu agradeço a todos. Muito obrigado”, afirmou, sob aplausos.

A vitória de Wendell Lira no Prêmio Puskas é simbólica, pois marca uma quebra de paradigma em relação aos palcos onde os gols mais bonitos são selecionados. “Antes dele, a honraria só havia sido dada a gols marcados em campeonatos de ponta. Foi na Copa do Mundo, por exemplo, que James Rodriguez trilhou seu caminho para ganhar a disputa no ano passado. O mais longe do topo que o prêmio Puskas chegou desde 2009, quando foi criado, foi o Brasileirão (com Neymar, em 2011) e o Campeonato Turco (com Stoch, em 2012)”, destacou a reportagem do Uol.

Em 2011, pensando em seu uso próprio, o evangélico Marcel Rocco criou um aplicativo da Bíblia Sagrada parasmartphones que pudesse ser usado sem consumir dados do pacote de internet. Hoje, quase seis anos depois, ele é o segundo mais baixado do mundo.

Rocco, que é mestre em meteorologia, só passou a oferecer o aplicativo Bíblia JFA Offline na loja Google Play, destinada aos usuários do sistema Android, após a insistência dos amigos.

De acordo com informações da jornalista Mariana Alvim, colunista de O Globo, Rocco “viu, em 2015, o aplicativo terminar como o segundo mais baixado no mundo entre as bíblias digitais da loja virtual [Google Play]. No Android, 10 milhões de pessoas já baixaram o app. No iOS, mais 3 milhões, nos 80 idiomas disponíveis”.

Ainda segundo a matéria, Rocco mudou de ramo, tornando-se empreendedor: “Hoje, tem uma empresa, a MrRocco, que administra 40 aplicativos, a maioria no segmento religioso”, informou Alvim.

A tecnologia no evangelismo

Em agosto do ano passado, o pastor/programador Gregory Ijiwola criou um aplicativo parasmartphones que inclui o nome do usuário nos textos da Bíblia, com a ideia de tornar a escritura sagrada mais pessoal e direta.

“Embora a Bíblia contenha milhares de promessas maravilhosas, confiáveis e apropriadas à vida do leitor, quando estas promessas são lidas, elas muitas vezes soam como generalizadas e distantes”, disse Ijiwola, criador do “To You Bible” (Bíblia Para Você, em tradução livre).O pastor da City Light Church, em Chicago, Illinois (EUA), afirmou que sua ideia, simples, pode ter um efeito grandioso no alcance da mensagem bíblica: “Um aplicativo que preenche instantaneamente o nome do leitor no texto das Escrituras, personalizando as passagens relevantes, faz a leitura da Bíblia ser viva, melhorando a experiência devocional e de edificação da fé dos leitores”, explicou.

O “To You Bible” insere o nome do usuário em passagens que o texto se refere aos fiéis de forma abrangente, como por exemplo, a passagem de Miquéias 6:8, usado na divulgação do aplicativo, que originalmente diz “Ele mostrou a você, ó homem, o que é bom e o que o Senhor exige: Pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus”. Já na versão do aplicativo, o texto é pessoal: “Ele mostrou a você, Fulano de Tal, o que é bom e o que o Senhor exige de você: pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus”.

Já leu a Bíblia hoje? Apresentamos aqui, alguns vídeos do canal Bíblia Sagrada Online para inspirá-lo com trechos da Palavra de Deus publicados no Youtube ao longo das últimas semanas.

Essa plataforma se consolidou como uma ótima alternativa para meditar na mensagem que transforma. Com essa ferramenta, a leitura diária da Palavra de Deus pode ser feita de forma rápida, prática e agradável, de qualquer lugar e a qualquer momento.

Esse canal foi inspirado na página Bíblia Sagrada no Facebook, que é um enorme sucesso, alcançando 2,3 milhões de usuários da rede social diariamente e cumprindo a missão de divulgar a mensagem do Evangelho. Da mesma maneira, o canal Bíblia Sagrada Online vem espalhando a mensagem das Escrituras.

A proposta é simples: incentivar aos assinantes do canal a leitura da Palavra de Deus e divulgar trechos que falam diretamente ao coração e ajudam a renovar a fé em meio à rotina. Em alguns meses, o projeto já compartilhou diversos vídeos com a mensagem que transforma vidas, cura, liberta e dá paz ao cansado.

Semanalmente a Bíblia Sagrada Online adiciona novos vídeos, criando um maravilhoso acervo das Escrituras Sagradas em vídeo. São trechos que destacam o amor de Deus para com seus Filhos, Suas promessas e bênçãos! Há ainda, reflexões, com a proposta de um olhar diferenciado, a partir da mensagem do Evangelho, sobre as situações cotidianas.

Assine agora, gratuitamente, a Bíblia Sagrada Online no YouTube, ou acompanhe a cada semana aqui no Gospel+ a lista com cinco dos vídeos mais recentes publicados no canal!

Os planos do ano novo

Gênesis 26

Salmos 94

Lucas 21

Apocalipse 19

A cantora Joelma Mendes, vocalista da Calypso, confirmou no último sábado que vai deixar a banda a partir do dia 31 de dezembro, após o fim do casamento de 18 anos com o músico Chimbinha.

Durante show em Goiânia (GO) na última sexta-feira, 28 de agosto, a cantora afirmou que a situação é difícil, mas será superada, e que se dedicará à sua jornada de fé a partir de 2016.

“Vou servir a Deus”, disse Joelma, reforçando os rumores de que se dedicará a uma carreira gospel após sair da banda Calypso.

“Eu sei que está sendo difícil, tudo no início é difícil, mas não é impossível. Para Deus não existe impossível”, disse a artista, antes de reforçar o fim de sua trajetória na música secular: “Obrigada a todos que me acompanharam até aqui no Calypso. Dia 31 de dezembro é meu último show aqui nessa banda. A partir daí eu vou servir a Deus”.

De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, a banda Calypso poderá chegar ao fim após a saída de Joelma. O grupo, liderado por ela e o agora ex-marido, ficou marcado como o maior dentre os independentes, que se mantém sem o apoio de gravadoras.

“Sem Deus, não.”

Em entrevista concedida à apresentadora Sabrina Sato, na TV Record, Joelma falou sobre sua fé, disse que atravessa um momento de dificuldade com o divórcio e que hoje enxerga que “sem Deus nada dá certo”.

Os motivos que levaram ao divórcio vêm sendo mantidos sob sigilo, mas boatos que circulam nas redes sociais apontam para infidelidade de Chimbinha.

Sobre o assunto, o músico resolveu se posicionar através de um comunicado enviado por sua assessoria de imprensa, onde reconhece que “sua dedicação extremada ao trabalho nesses últimos 16 anos o afastou muito do convívio familiar, dos contatos com seus filhos e até mesmo da relação conjugal com Joelma”.

Em outro ponto, Chimbinha pede perdão pelos erros e tenta reatar o relacionamento com Joelma: “Creio que a maneira correta que a gente tem para superar essa crise é continuarmos juntos. Já passamos por outras crises, por outras tantas dificuldades, mas ficamos juntos e vencemos”, pontuou

O Partido Social Cristão (PSC), presidido pelo Pastor Everaldo, vai lançar o nome do deputado Marco Feliciano na disputa das eleições municipais de São Paulo.

O partido resolveu ter um candidato próprio e já planeja buscar apoio. “Vamos buscar partidos para aumentar nosso tempo de TV”, disse Everaldo em entrevista à Folha.

Feliciano está em seu segundo mandato como deputado federal pelo Estado de São Paulo. Sua principal bandeira é a “defesa da família”, assunto que já o colocou diante de muitas polêmicas.

O deputado deve enfrentar na disputa pela Prefeitura da capital paulista nomes fortes como o de Marta Suplicy (PMDB), a senadora já foi prefeita de São Paulo outras vezes e possui um eleitorado forte.

O atual prefeito, Fernando Haddad (PT), também deve tentar a reeleição. Apesar de muitas críticas que recebe, o prefeito tem conquistado alguns paulistanos por conta de propostas como a inclusão da ciclovia em partes estratégicas da cidade e pela autorização do passe livre para estudantes.

Quem também deve tentar conquistar o voto dos paulistanos são Celso Russomanno (PRB), José Luiz Datena (PP), e o PSDB deve escolher um dos seguintes nomes: João Dória Jr., Andrea Matarazzo, Ricardo Trípoli e Bruno Covas.

7 Jul 2015

Quem é o seu samaritano?

Autor: rodrigo | Categoria: Estudos

Em Lc 10: 25ss, a partir da resposta do homem da Lei sobre a vida eterna, surge uma segunda pergunta: se a vida eterna está relacionada ao amor que devo ter a Deus e ao próximo, então, quem é o meu próximo? E, nesse ponto, sempre achei insuficiente a explicação de muitos comentaristas à resposta dada por Jesus. Veja.

Jesus responde contando uma história, que é a “Parábola do Bom Samaritano”. E, segundo Jesus, o “problema” da Bíblia reside em como o leitor a interpreta. A passagem em questão, por exemplo, já foi usada para criticar a igreja, para justificar a salvação pelas obras e, até mesmo, como base para a esquerda religiosa defender o conceito de “justiça social”.

A questão é “quem é o meu próximo a quem eu devo amar”? Resposta: a vítima dos salteadores amará o próximo dela, que é um samaritano. Vendo a atitude do samaritano, que venceu todo preconceito e todo ódio étnico, a vítima também fará o mesmo e se desarmará diante do samaritano, que a ajudou.

Agora faz sentido a resposta de Jesus ao homem da Lei: “Vá e faz o mesmo”. Fazer o mesmo o quê? As obras de misericórdia do samaritano? Não é esse o foco da passagem. O contexto surge da necessidade do homem da Lei em querer se justificar diante de Jesus, mas as obras de misericórdia nunca foram base da nossa salvação. “Até um samaritano faz melhor do que você”, estaria Jesus espezinhando o homem da Lei.

O que se espera como fruto de uma vida que ama a Deus é o amor ao próximo e não, simplesmente, obras de misericórdia que até um impuro samaritano – que adora o que não conhece (Jo 4:22) – faz melhor do que pessoas que se apresentam como povo de Deus. A mensagem que não excede a prática das boas obras é tudo menos o Evangelho Total, que devemos pregar aos samaritanos.

Portanto, vença seus preconceitos e ódios raciais e, quebrado o muro da separação dentro da igreja, ame o seu “samaritano”, que pode ser alguém, eticamente falando, muito melhor do que você. Deus escolhe samaritanos para nos envergonhar, porque devemos fazer as obras que eles fazem e muito mais: devemos apresentar o verdadeiro Deus a eles.

5 Jun 2015

O papel da teologia na cultura

Autor: rodrigo | Categoria: Estudos

Qual deve ser o papel da Teologia na cultura? Qual relação o cristianismo deve ter com as diversas culturas nesse mundo plural que vivemos? Algumas pessoas dizem que é necessário se opor a todo o tipo de aculturação, será que isso é possível?

Outras dizem que as culturas são valiosas, algumas de fato não devem ser aderidas pois ferem os valores cristãos, mas a diversidade cultural nos faz crescer, aprender e agrega valores a própria vida cristã.

Outro grupo de pessoas acreditam que todos os “ismos” tem seu valor e merece nosso respeito, se opondo a singularidade ao que julga ser simplesmente “nossa opinião”. Dentre essas e muitas outras opiniões, qual o papel da teologia e qual sua relação com a cultura?

Em termos gerais, entendemos cultura como conjunto de crenças e práticas de uma sociedade em particular, que inclui artes, religião, ética, costumes e etc. O ocidente, por exemplo, é fruto de uma cultura judaico-cristã. Nascer no ocidente significa crescer com determinados valores, costumes e possíveis crenças de acordo com o meio em que você vive. Nascer na Índia, seria ter uma forma de vestimenta diferente do ocidente, ter uma crença diferente e assim por diante, isso devido a diversidade cultural.

Sanches afirma que “cada uma das grandes religiões surgiu dentro de um determinado contexto-sócio-cultural”¹. Tendo essas informações, a teologia tem uma tarefa a realizar, identificar a influência dessas culturas a sua fé. Em tempos de pluralismo cultural e relativismo, as pessoas se confundem diante da existência de qualquer absoluto. Por acaso as Escrituras não nos apresentam alguns valores absolutos? Como a teologia lida quando a cultura fere seus princípios?

No sermão do monte, Jesus fala dos hipócritas, pagãos e acrescenta: “Não vos assemelheis, pois, a eles” (cf. Mateus 6: 8). O apóstolo Paulo escreve aos romanos: “Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos” (cf. Romanos 12: 2). De início, poderíamos dizer que o evangelho não é compatível com o relativismo, existem verdades absolutas onde a Teologia não pode abrir mão. John Stott explica: “Certamente não devemos ser totalmente inflexíveis em nossas decisões éticas, mas devemos procurar, com sensibilidade, aplicar princípios bíblicos a cada situação”².

Temos, por exemplo, o materialismo como uma cultura do nosso século. Quando as coisas materiais abafam a vida espiritual, é necessário a teologia aplicar a verdade das Escrituras, assim como Paulo nos incentiva a viver uma vida de simplicidade (cf. Filipenses 4: 11).

A respeito da ética sexual, a cultura moral judaico-cristã traz o casamento como uma união de monogamia, heterossexual, amorosa e vitalícia. Atualmente, existe o desprezo ao casamento autentico, o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo é uma alternativa legítima ao casamento heterossexual.  Pessoas dizem que a moralidade é totalmente arbitrária, mas a Teologia apresenta o senhorio de Jesus Cristo como fundamento do comportamento cristão. Assim sendo, o cristianismo tem um ponto de referência para viver, por isso, Jesus disse que os que o amam são aqueles que tem os seus mandamentos e o guarda (cf. João 14: 21).

É possível concluir que nem sempre os cristãos conseguiram perceber a distinção entre cultura e mundo. Historicamente muitos grupos cristãos estão sendo contra a arte, a ciência, a música e etc. Esses grupos são fundamentalistas e não refletem uma postura cristã. A teologia, tem o papel de “peneirar” os diversos “ismos” e agregar o que é valioso e coerente para o momento que vivemos, recusando aquilo que prejudica a fé genuína em Jesus Cristo e seus ensinos. Podemos encerrar com uma frase de John Stott: “A igreja tem uma dupla responsabilidade em relação ao mundo e seu redor. Por um lado, devemos viver, servir e testemunhar o mundo. Por outro, devemos evitar nos contaminar por ele. Assim, não devemos preservar nossa santidade fugindo do mundo, nem sacrificá-la nos conformando com ele”³.

Bibliografia:

¹SANCHES, Mário Antônio. Bioética: Ciência e transcendência -São Paulo: Loyola, 2004, p. 38.

²STOTT, John.  O discípulo radical. Viçosa-MG – Ultimato, 2011, p. 19.

³STOTT, John.  O discípulo radical – Viçosa-MG MG – Ultimato, 2011, p. 13.2011, p. 13

Desde quando você é um cristão, há um, cinco, dez anos? Quando você olha para o teu passado mais distante, quais são os erros que você enxerga com mais frequência e pontualidade na tua vida?

Ser um Cristão maduro e experimentado não é tarefa fácil.

Mas, o que acontece com a maioria de nós, no que tange a santificação ao longo dos anos? Muitos começam bem em sua vida espiritual, mas com o passar do tempo vão acomodando-se a um estilo de vida “morno”. Inicialmente, ficamos bem dispostos a ir contra o nosso eu, e a combater com vitalidade todo tipo de erro. É o primeiro amor, as primeiras obras.

No entanto, com o passar dos anos alguns pecados se repetem, e se repetem. É uma ira que teima em ficar, é um orgulho que resiste, um perdão que não chega.

Resultado? Ficamos tímidos pra orar, desencorajados pra ler a palavra e evangelizar, e por fim desanimados com as próprias lutas.

Porque não nos santificamos como o Senhor nos recomenda, “Sede santos, como eu sou santo”? Trazemos aqui algumas razões que nos impedem seguir firmes neste caminho. Mas, ao citar essas possíveis causas, devo reconhecer que essa luta é minha também. Não estou aqui a apontar simplesmente erros que eu mesma não me debato. Tenho buscado fazer reflexões profundas sobre a minha insistência em cometer os mesmos pecados ao longo dos anos, e desejo compartilhar, aqui, com você.

Veja aqui 3 “razões” que tornam a nossa santificação mais enfraquecida.

Porque tenho um índice elevado de amor próprio.

O movimento aqui é descendente. Inicialmente eu travo batalhas contra o “eu”, mas vou desistindo lentamente, vou me acomodando e por fim domesticando e alimentando minhas próprias causas, desço degraus e lá permaneço na própria zona de conforto. Eu faço o que faço, eu sou o que sou, pois tenho mil e uma razões para ser assim e agir assim. A culpa das minhas atitudes são as pessoas ou as circunstâncias.

Finalmente, acabo por refinar e desenvolver um apreço pelo “meu jeito de ser”. Sou intensa demais, sou perfeccionista demais, gosto de tudo bem feito, sou sincera demais e não tolero a injustiça. Percebe a sutileza e o aprimoramento do brio?

Neste ponto da manifestação do amor próprio, os pecados tomam uma forma cosmética e embelezada, tornando-se difícil dar nomes bíblicos às nossas atitudes “egocentradas”. Todavia, na bula bíblica a forma correta de  nomear meus pecados são: Não tenho domínio próprio, sou orgulhoso, ou mesmo intolerante e sem misericórdia.

Indo na contramão do autoengano Paulo diz, “Eu sou o pecador principal”.

Porque os meus pecados são menos graves que os do próximo.

Olhamos ao nosso redor e constatamos que o próximo tem pecados muito maiores e mais danosos que os nossos. Guerra ao erro dos outros e paz para a minha “dificuldade”. Me encho de crítica pelo jeito de ser do irmão, e dou uma trégua confortável para o meu caráter e minha personalidade. Sempre fazendo críticas pontuais aos pecados do outro. Inclusive, a palavra Crítica é, em si, já um julgamento de mérito. E ela será boa, se eu exercê-la com misericórdia. Ela será má, se executá-la excessivamente e sem amor.

Contudo, eu não devo desviar a atenção da minha capacidade diária de cometer pecados, e repeti-los indefinidamente. Segundo Kathlen Norris, “A maior batalha espiritual não se trava num campo espetacular, mas dentro do coração humano.” E Cristo diz, “Tire a trave do seu olho…”.

Porque eu acho que, por pior que eu seja, Deus irá sempre me aceitar como sou.

Sim, certamente que a misericórdia de Deus não tem fim. Que Deus é amor para sempre. Que é fato, Ele não nos retribui segundo os nossos pecados. Mas, tudo isso deve ser casado com a realidade de que Deus espera de nós empenho máximo no compromisso de santidade e mudança através do Espírito Santo. Lembram do que o autor de Hebreus falou? “Na luta contra o pecado, vocês ainda não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue”. Cap 12.4

Eu sei que você sabe, mas não custa relembrar, pecados antigos e repetidos geram um caráter torto. A palavra “Reto” nas Escrituras tem haver com o conserto em uma nova aliança com o Santo. O sangue de Cristo nos “consertou” para andarmos em linha reta com a Graça Dele.

O pregador Jonh Piper lembra que, “Quem enxerga na cruz uma licença para continuar pecando não possui a fé que salva. A marca da fé é a luta contra o pecado”.

E Cristo mesmo avisa, de forma contundente e determinante: “Não venha me chamar de Senhor, se você não faz o que eu mando!”.

Portanto, continuemos a nos santificar. Deus é Santo e não há nele treva nenhuma. Não conte com a misericórdia de Deus com pecados costumeiros, fruto do nosso desleixo espiritual. Certamente que temos que cultivar o mesmo sentimento do salmista quando disse: “Ó SENHOR, ajude-me a tomar cuidado com o que falo; ajude-me a não falar o que não agrada ao Senhor”. e “ Não permita que o meu coração seja atraído para o mal”. Sl 141 4,5

Bem falou Esdras em tempos de cativeiro por causa de pecado e desobediência, “Depois de tudo que nos tem sucedido por causa das nossas más obras, e da nossa grande culpa, ainda assim tu, ó nosso Deus, nos castigaste menos do que os nossos pecados merecem… Voltaremos agora a violar os teus mandamentos…?”

Que o Senhor nos ajude.

10 Apr 2015

Como saber a direção de Deus?

Autor: rodrigo | Categoria: Pregações

Para responder a esta pergunta, analisarei duas situações que considero relevantes quando o assunto é compreender a direção do Senhor para nossa vida: as decisões que tomadas com a orientação de Deus e as que são tomadas sem ela.

Quando tomamos decisões sem, antes, buscar a direção do Senhor, seguimos o nosso raciocínio lógico, deixamos que as emoções nos dirijam e tendemos a trilhar o caminho mais fácil. Consequentemente, perdemos a visão espiritual e preocupamo-nos apenas com o que é imediato. Por isso, em Mateus 6.25, Jesus recomendou: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir.

O homem pode ser enganado pelos seus próprios desejos. Infelizmente, até cristãos se têm deixado conduzir pelos sentimentos, desejos e pelas concepções próprias, tomando atitudes precipitadas; alguns têm baseado a sua fé puramente nas emoções.

As emoções são importantes e devem ser consideradas. Inclusive, a Palavra de Deus afirma que a paz é o árbitro (Colossenses 3.15). Contudo, as emoções, sozinhas, podem até atrapalhar nossa capacidade de raciocinar com clareza. Portanto, não permitamos que elas dirijam a nossa vida.

A razão também é falha. Raramente ela poderá, sozinha, levar-nos a uma escolha acertada. Quem é dirigido só pela razão e/ou pelas emoções está fadado ao fracasso, pois suas escolhas são feitas com base apenas no que ele entende. Assim, precisamos submeter nossas escolhas e decisões a Deus e recorrer à Sua Palavra, para descobrir o melhor caminho a seguir.

Nós vivenciamos o “aqui e agora”, mas Deus sabe exatamente o que ocorrerá depois. O Senhor é onisciente e presciente, sabe de tudo antecipadamente. Devemos, portanto, entregar a direção da nossa vida ao nosso Criador, sendo obedientes à Sua Palavra e à Sua voz, pois o Senhor guiará os nossos passos, e o sucesso será uma consequência.

Quando o Senhor está na direção de nossa vida, podemos continuar caminhando neste mundo com paz e segurança, certos de que Jeová Jireh suprirá nossas necessidades, porque Deus não muda. Aquele mesmo Senhor que abriu o mar Vermelho e alimentou Israel durante os 40 anos que este povo peregrinou no deserto cuida de nós e supre as necessidades espirituais, emocionais e materiais de todos quantos entregam sua vida a Ele.

Então, entreguemos nossa vida a Cristo, estudemos a Palavra e oremos antes de tomarmos qualquer decisão. Aguardemos Sua resposta, porque o Senhor prometeu: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre (Mateus 7.7,8).

SUGESTÕES DE LEITURA:

Salmo 37; Provérbios 3.5-8; o livro Na direção de Deus, de Silas Malafaia