Um grupo de arqueólogos da Universidade Hebraica, liderado pelo professor Yossi Garfinkel, e apoiado pela Autoridade de Antiguidades de Israel, anunciou a descoberta de um palácio e um armazém do rei Davi, nas colinas de Judá.

De acordo com os especialistas, estes são os maiores edifícios já encontrados dessa época, o décimo século aC. O fato de pertencer à família real também confirma a extensão do reino de Davi, que teria feito esta cidade uma fortaleza. Durante o ano passado, os arqueólogos escavaram um sítio que eles acreditam ser a cidade fortificada de Saaraim na Judéia, mencionada no livro de Josué, e no primeiro livro de Samuel. Essa seria a cidade onde Davi venceu Golias.

– Esta é uma prova irrefutável da existência de uma autoridade importante em Judá na época do rei David. (…) Esta é uma prova clara da existência de um reino, e que ele empreendeu centros administrativos em pontos estratégicos – afirmam os responsáveis pela descoberta.

ruinas-palacio-davi-alto

– Essas ruínas são o melhor exemplo descoberto até agora de uma cidade fortificada da época do rei David – afirmou o professor Yossi Garfinkel, segundo a Foxnews.

Ao redor do perímetro do palácio estão outros espaços confinados, onde se encontraram evidências da indústria de metal, vasos de cerâmica especiais e fragmentos de vasos de alabastro importados do Egito. O palácio está situado no centro da localidade, de onde você poderia controlar toda a cidade. A partir deste ponto, o mais alto, teria uma vista privilegiada do entorno, com o Mar Mediterrâneo e as montanhas de Hebron e Jerusalém ao oriente.

ruinas-palacio-davi-vasos

Segundo os pesquisadores, o palácio foi destruído 1400 anos depois de sua construção, quando uma fazenda fortificada foi construída, no período bizantino.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Envie um comentário